Jhonatan na MX1, Venício na MX2 e Erivelto na MX3 vencem no Catarinense de MX

* Texto assessoria de imprensa FCM e fotos de Rodrigo Hang

Ao conquistar em casa a sua primeira vitória na classe MX2 numa prova do Catarinense de Motocross, Venício Voigt fez vibrar a sua forte torcida que acompanhou as baterias realizadas nesse domingo, 7 de julho, no Motódromo Arthur Mayer, em Braço do Trombudo, na região do Alto Vale do Itajaí. A prova contou pontos para a segunda etapa do estadual e quarta etapa da Copa Norte de Motocross.

Voigt largou no meio do pelotão das motos de 250cc, enquanto lá na frente Eduardo Rosing e Luiz Zimermann disputavam a primeira colocação. Mas não demorou para que o garoto local superasse os concorrentes fazendo a alegria do público.

– A MX2 foi show. Vim lá de trás e a cada ultrapassagem eu sentia o pessoal torcendo. Se correr em casa já é bom, terminar com uma vitória assim é muito melhor – disse ele que passa a liderar a categoria com 39 pontos.

Zimermann foi segundo e Jhonatan Batista terceiro colocado nessa bateria. Completaram o pódio da MX2 o estreante Cássio Anacleto e Maicon Frena.

Na MX1 Jhonatan teve muito mais sorte, enquanto seu principal adversário da tarde ficou logo no primeiro salto.

– No que eu aterrissei senti que o motor apagou. Escapou a trava da corrente e ela enroscou no casco do motor, quebrando-o – explicou Venício que preferiu emprestar uma 450cc do que largar com a sua 250cc.

Largando na frente, Jhonatan comemorou ao receber a quadriculada, pontuação que lhe garantiu a liderança da categoria.

Larguei na 450cc mais focado, para ganhar mesmo essa prova. Desde o começo senti que estava mais rápido que todo mundo. Consegui sair da frente e no início forcei o ritmo para abrir vantagem do segundo colocado. Depois mantive e graças a Deus veio essa vitória que eu estava precisando para ver que o meu trabalho pode seguir em frente – falou Jhonatan.

Zimermann ficou em segundo, Frena em terceiro, Brayan em quarto e Alexandro Zuque completou o pódio na quinta colocação.

Erivelto Nicoladelli venceu as duas categorias destinadas aos pilotos veteranos a MX3 e MX4.

– É sempre bom ganhar e vencer as duas categorias foi excelente. Mantenho a liderança da MX4 e na MX3 passo para segundo agora. Foi uma prova bem disputada. A pista estava muito legal, terreno bem gostoso de andar, a moto tracionava nas curvas, umas mais outras menos, mas sempre firme – falou Erivelto.

Na MX3 Richard Berois foi o segundo colocado e segue na liderança, mas apenas com dois pontos de vantagem. Na MX4 Rogério Schmitt duelou praticamente a bateria toda com Ingo Gielow Junior, defendendo a segunda colocação. Na volta final Mirko dos Santos atacou de surpresa, e na última curva superou Rogério para ficar com o segundo lugar.

A classe intermediária teve a disputa mais acirrada do dia. João Victor da Veiga e Lucas Gadotti duelaram pela vitória da corrida, com vantagem para João Victor.

– Foi uma corrida bem legal, bem intensa. Eu e o Lucas trocamos de posição umas quatro vezes e no final ele cometeu um erro, melhor para mim. Foi show. A gente se conhece desde os seis anos, pois começamos a correr juntos. Na prova tentamos nos respeitar ao máximo, mas não deixar a disputa de lado – disse o vencedor, de Indaial.

A segunda colocação ficou para Eduardo Rosing. Gadotti foi o terceiro e Luzenir Cardoso e Cássio Anacleto completaram o pódio.

O piloto Alexandre Carvalho voltou a andar forte e ganhou a bateria da classe Nacional com boa diferença em relação aos concorrentes. Em segundo ficou Andre Luiz da Rosa, seguido de perto por Denilson de Souza, Leandro Cé Weitgenandt e Carlos Alberto Schnaider Filho.

Nas três categorias de base os pilotos mais rápidos nos treinos confirmaram o desempenho nas baterias: Wagner Oliveira venceu a 85cc, Rian Fischer venceu a 65cc, seguido de perto por Lucas Nascimento, e na 55cc Victor Fronza venceu com seis décimos de vantagem sobre João Vitorino.