Jean Ramos e Gustavo Pessoa dominam abertura do Brasileiro de Motocross 2016

jean_limeira2016_mauhaas-59

Jean Ramos venceu a primeira bateria – Fotógrafo: Mau Haas / BRMX

 

Deu Yamaha numa e Honda noutra. As duas principais equipes do motocross brasileiro dominaram as categorias MX1 e MX2 na abertura do campeonato nacional, realizada neste fim de semana, 14 e 15, em Limeira, São Paulo.

>>> Clique aqui para ver os resultados completos

O paranaense Jean Ramos subiu no lugar mais alto do pódio com a soma dos resultados das duas baterias de domingo na MX1. O piloto da Yamaha ganhou a primeira bateria e ficou em terceiro na segunda, e assim começou a temporada na liderança da competição.

– A primeira bateria foi muito boa, mas ainda falta me soltar um pouco mais, pilotar mais leve. Na segunda bateria, larguei bem novamente, mas o Paulo me passou, eu fiquei um pouco travado e o Campano chegou, errei e ele acabou me passando também. Mas consegui sair com a liderança do campeonato, que era meu objetivo já que está é uma das etapas mais difíceis pra mim tendo em vista que o Paulo e o Campano são especialistas na areia. Fim de semana ótimo – analisou Jean Ramos.

Carlos Campano, também da Yamaha Grupo Geração, terminou o fim de semana em segundo. O espanhol chegou a cair na primeira largada do dia e teve que fazer grande prova de recuperação.

– Na primeira largada eu caí e saí muito de trás, tendo que fazer muita força para chegar em quinto. Não me machuquei, mas cansei bastante, e na segunda prova fiz uma largada mais segura, saí em quarto, passei Ratinho e Jean, e depois tentei buscar o Paulo, mas ele estava bem, andando forte e fiquei em segundo. Esperava sair daqui com a liderança, mas posso ficar contente com a vice-liderança porque não é fácil cair numa largada. Estou bem no campeonato, apesar de não ter andado muito bem como queria – avaliou Campano.

O equatoriano Jetro Salazar, da Escuderia X, completou o Top3 da rodada.

– Corrida foi boa. Consegui andar no ritmo do Jean na primeira bateria e tentei fazer o mesmo na segunda, mas não foi possível porque larguei mal. Andei muito tempo atrás do Balbi, e quando ultrapassei já passava da metade da prova. A pista estava bastante difícil e eu pensei que seria muito arriscado forçar mais – disse Jetro.

Quem também surpreendeu foi Marcello “Ratinho” Lima, da EMG Kawasaki, que obteve o quarto lugar do pódio.

– Gosto muito de correr aqui, numa pista que eu treino às vezes, onde muitos amigos e a família vêm assistir. Na primeira bateria, acabei me batendo com o Campano… tive que parar a moto para não cair, e ele acabou caindo. Fiz prova de recuperação e acabei em sétimo. Na segunda, fui para o tudo ou nada. Por pouco não fiz o holeshot. Acompanhei o Paulo e o Jean no início, depois o Campano veio, estava um pouco mais rápido, e do meio para o fim eu consegui manter o ritmo. Voltei ao pódio e fiquei muito feliz! – comemorou Ratinho.

O português Paulo Alberto, da Honda Mobil, viveu um dia de altos e baixos. O piloto teve um pneu furado na primeira bateria que lhe prejudicou na somatória dos resultados, mesmo tendo vencido a segunda bateria.

– Na primeira bateria eu caí, tive um pneu furado e fiquei muito distante dos lideres. Na segunda, consegui vencer e ganhar bastante força. Agora, na sequência do campeonato, preciso ter bons resultados nas corridas para me recuperar – afirmou o europeu.

 

MX2 sob domínio da Honda

brmxp_2016_mauhaas-59

João Ribeiro, Gustavo Pessoa e Moranguinho no pódio da MX2 – Fotógrafo: Mau Haas / BRMX

 

Gustavo Pessoa garantiu para a Honda o primeiro lugar na categoria MX2 do Brasileiro de Motocross. O piloto venceu uma bateria e chegou em segundo em outra, somando 47 pontos na classificação geral.

– Me senti muito bem na pista e consegui administrar bem a corrida. Pretendo continuar trabalhando firme e forte para me manter bem no campeonato – afirmou Pessoa.

A primeira corrida deste domingo teve vitória do paulista Fábio Santos, da Yamaha Grupo Geração. O atleta ficou em terceiro na segunda bateria. Assim, começou o campeonato na vice-liderança da classe das 250.

– Fim de semana foi bom. Na primeira bateria, larguei bem, assumi a ponta na primeira volta, e mantive um bom ritmo para ganhar. Na segunda bateria, saí em terceiro e bem no começo meu braço deu uma travada, e isso tirou a chance de vitória na geral. Mas estou bem, segundo no campeonato e com chances de brigar pelo título – disse Fabio Santos.

Em terceiro, ficou João Ribeiro, da Honda Mobil, com 4-2 nas corridas.

– Na primeira bateria, larguei entre os quatro, cheguei no Fabinho, estava em segundo, mas acabaram meus tearoffs, e fiquei com dificuldades para enxergar as canaletas. E na segunda bateria, larguei em terceiro, passei o segundo colocado e, lá na frente, o Gustavo Pessoa já estava com boa vantagem e não deu pra chegar – comentou João.

Pepê Bueno, da equipe CT PP MX Park, conquistou o quarto lugar, com 5-4 nas baterias.

– Na primeira bateria larguei bem, mas tive dificuldades pra me soltar na pista. Na segunda, larguei muito mal e tive que me recuperar. Acabei em quarto, mesma posição do overall, o que não é ruim. Tem bastante corridas ainda pela frente. Quero chegar na final disputando o título – disse Pepê Bueno.

E Enzo Lopes, piloto Red Bull Fox Head Leo Motos, completou o pódio com 3-7 nas baterias.

– A corrida teve altos e baixos. Tinha velocidade pra vencer, fiz a melhor volta, mas caí nas duas baterias. Na primeira ainda consegui recuperar até o terceiro lugar, mas na segunda eu larguei um pouco mal e, na segunda curva, fui fazer ultrapassagens, caí, demorei muito para levantar e saí quase uma volta atrás de todo mundo. Agora é focar no Arena, que depois já volto para os Estados Unidos – comentou Enzo.

 

Mais fotos

brmxp_2016_mauhaas-63

Jetro Salazar – Fotógrafo: Mau Haas / BRMX

 

brmxp_2016_mauhaas-62

Ratinho Lima – Fotógrafo: Mau Haas / BRMX

 

brmxp_2016_mauhaas-61

Paulo Alberto venceu a segunda bateria – Fotógrafo: Mau Haas / BRMX