Jean Ramos analisa as mudanças nas regras do AMA SX 2018

mudanças nas regras do AMA SX 2018
Jean Ramos vai correr as seis etapas iniciais do AMA SX 2018 – Foto: Mau Haas / BRMX

 

As mudanças na regras do AMA SX 2018 causaram grande curiosidade dos fãs ao redor do mundo. E até mesmo os pilotos envolvidos estão se perguntando se elas são boas ou ruins.

Jean Ramos, confirmado como um dos participantes do campeonato na categoria 250, conversou com o BRMX a respeito das mudanças.

>>> Clique aqui para saber o que mudou!

É fato que os organizadores estão buscando dar mais emoção ao campeonato e às corridas que acontecem na metade da temporada, criando novos atrativos em rodadas que muitas vezes eram monótonas por causa do domínio de algum piloto na temporada, como aconteceu diversas vezes com Ryan Villopoto e Ryan Dungey nos últimos anos.

Abaixo, confira o que Jean Ramos falou sobre o assunto.

 

Nova pontuação

“Acredito que vai favorecer um pouco mais quem é menos constante no campeonato, como já aconteceu com Tomac e Roczen. O Dungey ia muito bem no começo e depois começava a administrar. Agora, a diferença do sexto, sétimo, para o primeiro, diminuiu um ponto. E isso pode manter o campeonato mais disputado. Por mais que um piloto vá mal em uma ou outra etapa, ele perde um pouco menos de pontos do que perderia no formato anterior.”

 

Fim das semifinais na 450

“Acho que vai ajudar na manutenção da pista. Eles reformam a pista para o último treino cronometrado, reformam para as classificatórias, e depois só dão algumas manutenções. Ela deforma muito. Eu gostava do formato com as Semis porque eram mais corridas, acho que para o público era legal. Mas o intervalo entre as baterias era muito pequeno. Assim vai ter um pouco mais de espaço.”

 

Formato MEC

“Vou pegar este formato de disputa na terceira etapa do campeonato, em Anaheim 2. Em 2013, pelos meus tempos nos treinos, eu teria entrado direto pro Main Event em algumas etapas. Certo é que os pilotos que estão disputando as últimas vagas, terão que dar o máximo. Se passar, já tá no Main Event e não precisa mais se incomodar. E se não der, vai pra última chance, que é uma corrida complicada, com pouco tempo. Se largar mal, não tem muito o que fazer. Eu prefiro o formato anterior, normal, mas a gente ainda não sabe como vão estar as equipes, os pilotos, vamos ter que ver. E quem conseguir se classificar, vai se divertir bastante com as três baterias. Na minha opinião, cada bateria deveria contar pontos para o campeonato ao invés de ver o overall no fim. Seria mais empolgante. Poderia decidir o campeonato. Mas acho que vai ser legal para o público.”

 

Encontro Leste X Oeste

“A costa Oeste sempre ficava sete finais de semana sem correr, então agora vão ter esta no meio, na 12ª etapa, para se manterem na ativa. É bacana também pra medir forças entre os pilotos das duas regiões. Quando é só na final, em Las Vegas, muitas vezes as equipes acabam poupando pilotos e o confronto fica um pouco enfraquecido.”

 

Amadores

“Não sei muito bem como vão trabalhar as pistas. Acredito que vão deixar as pistas um pouco mais mansas para que os amadores não se machuquem, porque realmente as pistas de supercross são punks, são bem difíceis. Mas será uma grande oportunidade para os amadores dos EUA.”