Graham Jarvis é o melhor no trecho desta segunda-feira do Red Bull Minas Riders 2016

jarvis_minas_riders
Jarvis embolou a disputa – Crédito: Claudius Vasilescu / Red Bull Content Pool

 

*Texto: assessoria de imprensa Red Bull

Os melhores pilotos do mundo continuam acelerando nas trilhas de Minas Gerais, pelo Red Bull Minas Riders. Nesta segunda-feira, 18, eles saíram da capital Belo Horizonte rumo a Ouro Preto, em um trajeto de cerca de 160 km pelas trilhas mais insanas da região.

Esse foi só o segundo de um total de quatro dias de competição. Mas parece suficiente para que os gringos possam emitir uma opinião bastante positiva sobre a etapa brasileira do Hard Enduro Series (principal campeonato internacional de enduro extremo para motos).

– Tem sido muito bom até agora. Estou curtindo muito. E ver o público acompanhando nas trilhas é incrível – afirma Graham Jarvis, de 40 anos de idade, uma verdadeira lenda do Hard Enduro. Está na modalidade desde os primeiros anos e fala com a autoridade de quem já venceu corridas como Red Bull Romaniacs, Red Bull Sea to Sky, The Tough One e Hell’s Gate, isso para ficar só nas mais importantes.

O Minas Riders é bem similar ao Red Bull Romaniacs e ao Roof of Africa. Dá pra dizer que é um mix dos dois, porque tem pedras como no Roof of Africa e trechos de riachos muito escorregadios, como no Romaniacs. Jarvis fez esse discurso justamente depois de receber a bandeirada no Sesc Estalagem, onde estava montado o pórtico de chegada do dia.

Os organizadores do Minas Riders pregaram uma peça na pilotada: pela manhã, os primeiros trechos foram mais simples, mais rápidos. Só que na parte da tarde virou uma missão quase impossível.

– Pegamos pontos de primeira e segunda marchas, pedras soltas, mato muito alto. Foi meio uma luta para ‘sobreviver’. Estava difícil encontrar o caminho. Espero que os próximos dias não sejam tão difíceis, embora eu já esteja acostumado e saiba me divertir com isso – concluiu Jarvis, piloto britânico, que foi o melhor do dia na categoria Gold.

O resultado o colocou de volta na briga pela vitória, porque Alfredo Gomez, espanhol, tomou um tombaço no meio do caminho e precisou esperar pelos competidores que vinham mais atrás para ajudá-lo a colocar a moto de volta na trilha.

– Cometi muitos erros no começo. Esbarrei numa árvore, cai e tive de esperar pelo Lars (Enöckl) e pelo Philipp (Scholz) para pegar a moto de novo. E no final ainda fiquei sem água pra beber. Estou morto de cansaço – explicou Alfredo Gomez.

Para esta terça-feira, 19, penúltimo dia de atividades do Minas Riders, a programação prevê a “volta para casa”. Os pilotos saem de Ouro Preto e chegam a Belo Horizonte. Na categoria Silver, é o brasileiro Rigor Rico quem continua dominando.

 

pilotos_minas_riders
Público acompanhando o Minas Riders – Crédito: Claudius Vasilescu / Red Bull Content Pool