Daniel “Federal”, o amador que ganhou mais prêmio na MX3 que o vencedor da MX1 no Brasileiro de Motocross

Daniel Federal – Foto: Danyllo Proto

 

O carioca Daniel Pessanha, conhecido como Federal, ganhou R$ 2.000 de prêmio do Programa bLU cRU Yamaha na quarta etapa do Brasileiro de Motocross 2018, em Nova Alvorada do Sul.

Em tempos que os pilotos profissionais lutam e se organizam para exigirem prêmios em dinheiro do campeonato, o piloto amador de 36 anos saiu do Mato Grosso do Sul com mais grana no bolso que Carlos Campano, o vencedor da MX1 (que atualmente não tem premiação no Brasileiro de Motocrorss).

– Foi show. O prêmio pagou minha viagem. As outras etapas eu ia de Honda, e aí comprei a Yamaha por causa do bLU cRU. E de cara já ganhei os dois mil. Isso que lá foi a primeira vez que andei nela (YZ 450F). Comprei ela umas três semanas antes, só que veio a greve, fiquei sem combustível, fiquei doente, não consegui treinar. Fui pra lá com a moto toda original. Fui de carro, gastei quatro tanques de diesel, pedágio, alimentação, inscrição e o dinheiro do bLU cRU pagou minhas despesas – conta Federal.

O piloto da cidade de Campos Goytacazes, a 270 km de capital carioca, é um apaixonado por motocross. Começou a correr com 12 anos e, como a maioria dos brasileiros da sua idade, passou por DT 180, DT 200, XL até chegar às motos importadas.

Atualmente, Federal trabalha como “motoboy” fazendo entregas para as duas empresas – comércio de roupas de ginástica e farmácia – que sustenta com sua esposa para dar o melhor para sua filha de 7 anos.

– Sempre fui às corridas do Brasileiro perto de casa, mas nunca tive estrutura. Acho que o resultado mais expressivo que tive foi um sexto na MX2, em 2007 ou 2008. Na MX1, já fiz sétimo, oitavo, mas sempre privado – conta.

Agora Federal corre na MX3 e conta com alguns apoios como da IMS Racing, Protech Motorsports, G. Moto Racing, Labella Fitness, Aureo Center, RKS Racing, Pix Graphics, Academia Sandro Moura Fitness.

– Eu treino mais academia. Uma vez por semana ando de moto, e quando chega mais perto da etapa, intensifico um pouco – revela.

Graças a vitória no Mato Grosso do Sul, Pessanha assumiu a terceira colocação do Brasileiro de Motocross 2018 na MX3. Está a 14 pontos do líder Marcos Cordeiro e um ponto atrás do vice-líder Jhonatan Batista. Isto empolga o piloto a seguir disputando o campeonato.

– Na primeira etapa, caí e tive que parar. Nas outras duas, todas estas com minha Honda 2013, fiz terceiro. Agora ganhei e subi no campeonato. Dá pra brigar. E com o bLU cRU empolga ainda mais. Esta iniciativa da Yamaha é top. Dei meu sangue pra ganhar o prêmio. Vale muito a pena. O que a Yamaha fez aí não tem explicação – comenta Federal, que carrega o mesmo apelido que seu pai, da Federal Motos.

 

Federal (de azul) e seu companheiro de equipe ao lado de Jorge Negretti