Dakar 2017: resultados da etapa 4 – Barreda é penalizado e cede liderança para chileno

quintanilla-st_

Pablo Quintabilla, do Chile, lidera a competição – Foto: Husqvarna

 

Um terço do Rally Dakar 2017 foi completado nesta quinta-feira, 5, entre San Salvador de Jujuy, Argentina, e Tupiza, Bolívia, com uma especial de 416 Km na altitude. E mais uma vez o dia terminou com um líder diferente na classificação acumulada.

O chileno Pablo Quintanilla, da Rockstar Energy Husqvarna, é o ponteiro depois de ser beneficiado por uma punição ao espanhol Joan Barreda, da Monster Energy Honda, que liderava a prova e havia terminado a etapa em segundo (atrás de Mattias Walkner), mas sofreu o penal de 1h por abastecimento irregular. Com a penalidade, Barreda caiu para a 13ª posição na tabela acumulada.

Outro fato que mexeu com os competidores foi a queda seguida de fratura no fêmur e abandono da prova do atual campeão, Toby Price, da Red Bull KTM. Paulo Gonçalves, português da Monster Energy Honda, parou para ajudar o oponente e por isso terminou o dia com o 17º melhor tempo, mas deve receber minutos de bonificação pelo período perdido no auxiliando a Price.

Com a vitória nesta etapa, Mattias Walkner, da Red Bull KTM, entrou na briga pelo título. O austríaco é o segundo colocado nos resultados acumulados, apenas 2min07seg atrás de Quintanilla. Assim, a KTM mantém viva a esperança de conquistar seu 16º título consecutivo do Rally Dakar.

A Red Bull KTM, aliás, ocupa também a terceira e quarta colocação da prova com o eslovaco Stefan Svitko e o britânico Sam Sunderland, respectivamente. Em quinto aparece o português Paulo Gonçalves, a 7min26seg do líder.

 

E os brasileiros?

Richard Fliter, na 61ª posição, é o melhor colocado na soma entre os brasileiros que disputam a classe das motos. Ricardo Martins está em 72º e Gregório Caselani é o 108º.

 

 

Roteiro e programação do Dakar 2017*

*Dados fornecidos pela organização

roteirodakar2017

Total do percurso do Dakar 2017: 8.818 km

Etapa 1 / 2 de janeiro
Asunción (PAR) para Resistencia (ARG) – percurso total de 454 km

Etapa 2 / 3 de janeiro
Resistencia (ARG) para San Miguel de Tucumán (ARG) – percurso total de 803 km

Etapa 3 / 4 de janeiro
San Miguel de Tucumán (ARG) para San Salvador de Jujuy (ARG) – percurso total de 780 km

Etapa 4 / 5 de janeiro
San Salvador de Jujuy (ARG) para Tupiza (BOL) – percurso total de 521 km

Etapa 5 / 6 de janeiro
Tupiza (BOL) para Oruro (BOL) – percurso total de 692 km

Etapa 6 / 7 de janeiro
Oruro (BOL) para La Paz (BOL) – percurso total de 786 km

Dia de descanso em La Paz (BOL) / 8 de janeiro

Etapa 7 (Maratona) / 9 de janeiro
La Paz (BOL) para Uyuni (BOL) – percurso total de 622 km

Etapa 8 / 10 de janeiro
Uyuni (BOL) para Salta (ARG) – percurso total de 892 km

Etapa 9 / 11 de janeiro
Salta (ARG) para Chilecito (ARG) – percurso total de 977 km

Etapa 10 / 12 de janeiro
Chilecito (ARG) para San Juan (ARG) – percurso total de 751 km

Etapa 11 / 13 de janeiro
San Juan (ARG) para Rio Cuarto (ARG) – percurso total de 754 km

Etapa 12 / 14 de janeiro
Rio Cuarto (ARG) para Buenos Aires (ARG) – percurso total de 786 km

 

O que esperar da etapa 5?

Nesta sexta-feira, 6, entre Tupiza e Oruro, cidades da Bolívia, a disputa segue na altitude, que chegará a 4.190 metros. Nos 692 quilômetros entre uma cidade e outra, há grande variação de terreno, o que põe à prova a habilidade dos pilotos e navegadores. Além disso, as dunas novamente dão as caras.