Coluna do Savastano: bate-papo com Pedro Henrique sobre Rally dos Sertões

 

Hoje vamos bater um papo com amigo Pedro Henrique, piloto baiano que irá disputar a edição histórica de 25 anos do Rally dos Sertões a partir do dia 19.

 

Títulos de Pedro Henrique

Campeão Rally RN 1500 – 2017;
Vice-campeão Brasileiro de Rally Cross Country – Quadris 4×4 2016;
Vice-campeão Rally Piocerá 2015 – 2016;
Vice-campeão Geral Rally do Sertões 2015;
Campeão Brasileiro de Rally Cross Country – Quadris 4×4 2015;
Bicampeão Brasileiro de Rally Regularidade Graduado (2014-2015);
Tricampeão Rally TransBahia Quadriciclo Graduado (2013 – 2014 – 2015);
Vice-campeão Baiano de Rally de Regularidade (2013 – 2014 – 2015);
6º Lugar Ranking Mundial de Rally Cross Country JR 2014;
Piloto Revelação 2014 (Rally do Sertões – Cross Country);
Campeão Rally do Sertões Junior Quadriciclo (FIM – Mundial) 2014;
Vice-campeão Brasileiro Quadriciclo Novatos – 2013;

 

Pedro, conte-nos um pouco da sua história no off-road e qual as suas expectativas para o Rally dos Sertões 2017.

Meu nome é Pedro Henrique Teixeira Costa, sou natural de Feira de Santana, Bahia, porém fui criado quase que minha vida inteira em Barreiras, região Oeste da Bahia. Atualmente resido em Belo Horizonte, Minas Gerais, onde faço faculdade de Engenharia Mecânica na PUC Minas.

Sempre fui apaixonado por carros, desde pequeno passava horas brincando com meus carrinhos de miniatura, e com o passar dos anos, com a influência do meu pai, fui pegando um gosto ainda maior pelo automobilismo.

Inicialmente fazíamos trilha de jeep (tínhamos um Willys 51 e depois um Ford 81), além de alguns passeios e expedições. Meu primeiro contato com quadriciclo foi aos 15 anos, quando ganhei um Honda Fourtrax 420cc. Nos dois primeiros anos, apenas ia como apoio para meu pai, ele corria regularidade e eu ficava na equipe dando todo suporte.

Em 2013, comecei a correr de quadriciclo, meu pai comprou um outro quadri para ele e eu comecei a correr no meu. No meu primeiro ano de Rally tive um excelente resultado, sendo vice-campeão Brasileiro, ganhando o Rally TransBahia e aumentando ainda mais o sonho meu e do meu pai de participarmos de cada vez mais competições.

Ao longo dos quatro anos consegui me tornar Tricampeão Brasileiro de Rally, duas vezes na categoria regularidade e uma vez na categoria Velocidade, além de me sagrar vice-campeão por duas vezes.

Participar do Rally do Sertões sempre foi um sonho para nós, lembro como hoje, eu e meu pai viajando de carro para o primeiro TransBahia e combinando de um dia poder ir assistir o Rally do Sertões.

Quem diria que dois anos depois eu estaria disputando o Rally do Sertões, o segundo maior Rally do Mundo, e ainda levando para casa dois troféus, de Campeão Mundial Junior Etapa Sertões, naquele ano o Sertões valia pelo campeonato mundial, e de Piloto Revelação do Rally do Sertões.

Sem dúvidas, 2014 foi um ano muito especial, pois além da estreia da participação tive a honra da cobertura total da Savastano Photo Sports, a qual esteve todos os dias conosco no motorhome e nas especiais, que fez uma brilhante matéria falando sobre minha trajetória naquele ano, chegando a me emocionar ao ler, obrigado por isso.

Desde então fizemos três participações no Rally do Sertões, e estamos nos encaminhando para a quatro participação, a qual contamos com a torcida de todos para continuar na realização desse sonho.

Sem dúvidas nosso primeiro ano foi o mais complicado, tinha apenas 18 anos, nunca tínhamos corrido um Rally de velocidade, apenas provas de regularidade, não tínhamos levado quase nenhuma peça de reposição, e ainda tivemos inúmeros ajustes para fazer em cima da hora para conseguir passar na vistoria do Rally.

No primeiro dia me acidentei, tive os últimos dois dedos da mão direito deslocados, além de lesões no punho e na mão, tendo que correr os outros seis dias de Rally e os 2.200km com a mão direita imobilizada, utilizando apenas o dedão para acelerar (nos quadris o acelerador é igual de Jet Sky, o acelerador é no dedo, como um gatilho, e não no punho).

Felizmente, apesar dos sustos e imprevistos, conseguimos terminar o Rally, levando os acontecimentos como aprendizado para os demais anos de competição, principalmente aquele que sertões não se ganha no primeiro dia, porem se perde (mandamento número #1).

No segundo ano tivemos um desempenho fantástico, ficando entre os três primeiros em todas as etapas, nos consagrando vice-campeão dos quadris e primeiro entre os quadris 4×4. Foi um ano onde tudo ocorreu bem, nenhuma quebra, nenhum imprevisto, tudo que havia aprendido em 2014 nos ajudou em 2015, com uma estrutura maior de peças, equipe, uma melhor logística e mais experiência.

Em 2016 tivemos um ano muito difícil, infelizmente andamos bem, ganhamos etapas do Rally, mas tivemos dois furos de pneus que nos tiraram da prova. No segundo dia de prova tive um fora de pneu, rodei 180km até o pneu se soltar da roda e ter que abandonar a especial, e no quinto dia tive outro furo de pneu, justamente na etapa mais difícil do Rally, a etapa maratona (a qual não temos apoio mecânico entre duas etapas), percorrendo 220km com pneu furado, deslocando a 30km/h para evitar que o pneu soltasse da roda.

Infelizmente os furos de pneu nos tiraram qualquer chance de vitória, mostrando mais uma vez que nunca se sabe tudo sobre um Rally e que sempre podemos aprender algo novo com a derrota, nos fortalecendo ainda mais.

Na edição de 2017 o Rally do Sertões estará completando 25 anos, indo de Goiânia (GO) à Bonito (MS), e estamos nos preparando para mais uma edição. Esse ano estaremos correndo pela Equipe DanGo Racing Team, junto de outros pilotos de moto, facilitando a nossa logística e melhorando a nossa estrutura, além de novas mudanças no quadri para aprimorar o seu desempenho.

Quando meu pai começou a correr em 2011 decidimos fundar a Equipe QuaTrilha do Cerrado, a qual fundamos com o intuito de ser mais que uma simples equipe, mas uma família.

Levávamos amigos para dirigir o carro de apoio, e nosso mecânico de Jeep para dar manutenção nos Quadris, uma equipe que se conhecia muito antes dos Rallys e que por isso tínhamos uma sintonia tão bom (apesar que não dá para negar que quando começa os Rallys os nervos ficam a flor da pele e todo mundo acaba brigando com todo mundo, acho que por isso parece uma família haha).

Atualmente corremos com a Equipe DanGo Racing Team, do amigo e piloto Danilo Gomes, porém ainda corremos com a logomarca da nossa equipe, mantendo os mesmos mecânicos e amigos de anos atrás. Infelizmente o Rally do Sertões é uma prova muito cara, e não conseguimos correr com os dois quadris, sendo assim, durante o Rally meu pai participa como chefe de equipe, mas um dia ainda realizarei o sonho de concluir um Sertões ao lado dele, afinal foi assim que tudo começou.

O Rally do Sertões é uma das maiores e mais incríveis provas do pais, onde os pilotos contam com uma estrutura de primeiro mundo, buscando sempre a total segurança dos competidores, contando com carros de resgate, helicópteros, aviões, UTI terrestre 4×4, etc.

É uma prova a qual todos os pilotos sonham em participar e sonham em poder chegar ao local mais alto do pódio, uma competição onde se é possível testar os seus limites, onde você vai passar sede, calor, noites sem dormir, se alimentando pouco, perdendo peso, muitas vezes até pensando em desistir, mas a paixão pelo esporte off-road fala mais alto, o desejo pela vitória em se superar cada vez mais nos motiva a levantar a cabeça e seguir em frente, afinal, na dúvida é melhor acelerar.

Meu primeiro Rally do Sertões foi com apenas 18 anos, na época era o piloto mais novo da prova, e devo ser uns dos mais novos a participar até hoje. Atualmente estou com 21 anos, me preparando para mais um desafio de superação, e gostaria de agradecer ao convite do amigo Ângelo Savastano para contar esta história aqui no BRMX, bem como nosso amigo e parceiro Renato Cajuru.

Por sinal essa uma das maiores virtudes das provas de esporte a motor, a possibilidade de conhecer pessoas incríveis Brasil afora, conhecer diversos pilotos, organizadores, membros de outras equipes, e levar essas pessoas como amigos para o resto da vida.

Gostaria de agradecer a cada um que passou na nossa história de competições e aventuras off-road, desde o pessoal do Jeep Clube de Barreiras, aos pilotos e navegadores que conhecemos, aos organizadores dos rallys e membros da organização.

Agradecer aos amigos e familiares que nos apoiam, que torcem pela gente nas redes sociais, divulgando e mandando mensagens de apoio. Gostaria de agradecer em especial aos meus mecânicos Sapinho e Biscoito, os quais passam noites dando manutenção nós meus quadri e sem eles nada disso seria possível, a minha namorada e à Irmã pelo apoio, à minha mãe por estar sempre torcendo e pedindo proteção e ao meu pai e eterno companheiro de aventuras, o qual sempre me apoio e esteve ao meu lado, em todos os momentos, mesmo nas brigas nos boxes da equipe até os momentos de alegria e felicidade (desculpa ter tomado seu lugar de piloto #1 haha).

Agradecer aos meus patrocinadores que acreditaram em mim e investiram nesse sonho, agradecer a BH Polaris, Auto Posto Santa Lucia, Prefeitura de Barreiras, Instituto de Urologia de Barreiras, Casa Costa, Uni Peças, Arisun Tyres e SJ CAM.

Muito Obrigado a todos pela torcida, e que venha o Rally do Sertões 2017 e mais uma vez conto com a energia de todos para lutar pelo troféu mais alto do pódio. Nos acompanhe nas redes sociais (@pedrohtc) e no nosso site www.pedrohtc.com.br.

Angelo Savastano (jornalista e Reporter Fotográfico MTe 15.621/mg) –Savastano Photo Sport