Cairoli? Villopoto? Não! Max Nagl faz a festa na primeira etapa do Mundial de Motocross 2015

maxnagl_mxgp
Max Nagl mostrou que nem só de Schumacher vive o esporte a motor na Alemanha – Foto: MXGP

 

Enquanto todos esperavam disputa acirrada entre Antonio Cairoli e Ryan Villopoto, quem roubou a cena na primeira etapa do Mundial de Motocross 2015 foi Max Nagl. Estreando pela Husqvarna, o alemão ganhou as duas baterias realizadas no circuito de Losail, em Doha, no Catar, neste sábado, 28. Clement Desalle (2-2) e Gautier Paulin (4-3) completaram o pódio da rodada inicial, enquanto Ryan Villopoto encerrou o dia com a oitava colocação final, parciais 9-8, e Cairoli foi o quarto melhor do dia com parciais de 3-4.

Em defesa ao norte-americano, pode-se dizer que Villopoto estava há quase um ano sem competir (a última prova dele tinha sido a final do AMA SX, em maio de 2014). É provável que ele melhore ao longo do campeonato e passe a brigar pelas primeiras colocações. Quem duvida disso?

>>> Acesse a classificação do campeonato após a primeira etapa!

 

Resumo das provas

Na primeira bateria da MXGP, Nagl fez uma excelente largada (e corrida), saindo na frente para vencer de ponta a ponta, seguido de Clement Desalle e Antonio Cairoli. Desalle ultrapassou Cairoli pela segunda colocação – mostrando que está em plena forma para esta temporada – e ainda botou pressão em Nagl no fim da bateria, mas não foi capaz de fazer a ultrapassagem.

Apesar do grande desempenho de Nagl e Desalle, Ryan Villopoto foi a grande atração na transmissão oficial, mesmo não andando na frente. O norte-americano ficou no gate de largada (a moto apagou) e saiu da última posição. Ainda nas primeiras voltas, tomou um “esbarrão” do espanhol Jose Butron e caiu. Estava se recuperando bem, alcançando a 13ª colocação na metade da prova, quando caiu novamente e foi parar em 19º. Se recuperou outra vez e acabou na nona colocação.

 

:: Villopoto fica no gate da primeira bateria

 

Na segunda bateria,  Max Nagl pulou na frente mais uma vez, seguido de Paulin, Desalle, Cairoli e Strijbos. Villopoto largou por volta da 10ª colocação e tentou imprimir seu ritmo para se aproximar dos ponteiros. Rapidamente alcançou a sétima colocação, mas ficou “trancado” nesta posição tendo Strijbos, Horebeek, Cairoli, Desalle, Paulin e Nagl na sua frente. Cometendo alguns pequenos erros, RV2 perdeu ainda a sétima colocação para o francês Romain Febvre.

Clement Desalle outra vez foi o grande nome ao lado de Nagl. O belga segurou a terceira colocação quando Cairoli tentou roubar este posto dele, e no fim foi pra cima de Paulin para ganhar a segunda colocação com uma bela ultrapassagem, garantindo assim o segundo lugar no pódio.

Mas o grande nome, quem andou perfeitamente no fim de semana, foi Max Nagl!

 

:: Resultado – soma das baterias
mxgp_resultado_catar

 

:: Curiosidade

Nenhuma das 300 pessoas que participaram do Bolão BRMX apostou em Max Nagl como vencedor da prova. A maioria (46%) apostou em Cairoli e outros 36% apostaram no Villopoto. Paulin, Desalle e Horebeek também foram lembrados.

 

 

Herlings comanda MX2

herlings_catar
Jeffrey Herlings se emocionou ao final da prova, mostrando que realmente se superou para chegar a esta vitória – Foto: MXGP

 

Poderíamos dizer que foi uma surpresa o holandês Jeffrey Herlings ganhar as duas bateria da MX2? O piloto voltou a treinar apenas duas semanas antes do Mundial e ainda se recupera da grave lesão sofrida em 2014, no fêmur. Mesmo assim, foi o mais rápido do fim de semana na categoria das 250, ganhando a bateria classificatória na sexta-feira e as duas baterias finais neste sábado.

Depois da primeira etapa, é possível prever que “a bala holandesa” comandará facilmente todas as etapas da competição. É provável que, assim como no ano passado, apenas uma lesão séria tire o tricampeonato do piloto da Red Bull KTM.

 

:: Resultado – soma das baterias
mx2_catar2015

 

 

Stefany Serrão termina em 12º na WMX

stefanyserrao
Stefany Serrão fez sua primeira tentativa no Mundial – Foto: IMS Racing

 

A brasileira Stefany Serrão terminou sua primeira participação no Mundial de Motocross Feminino com a 12ª colocação na soma das duas baterias, parciais de 13-9. A francesa Livia Lancelot ganhou as duas baterias. Veja os resultados abaixo!

 

:: Resultado – soma das baterias
resultado_wmx-catar