Balbi Junior disputará final do Mundial de Motocross 2015 na pista de Glen Helen, Estados Unidos

balbi_2015_mauhaas-1
Balbi utilizará, em Glen Helen, o número #103 – Crédito: Mau Haas / BRMX

 

Balbi Junior disputará a final do Mundial de Motocross 2015, que acontece na pista de Glen Helen, no estado da Califórnia, Estados Unidos, nos dias 19 e 20 de setembro. O evento será marcante pois unirá pilotos do AMA Motocross e da MXGP para medirem forças na mesma pista.

Balbi contou em entrevista ao BRMX que a ideia surgiu de uma brincadeira entre amigos pilotos no Whatsapp. Em um grupo com o italiano Davide Guarneri e o suíço Valentin Guillod, eles tiveram a ideia de se encontrar e reunir os amigos.

– A ideia começou com uma brincadeira. Somos muito amigos do Pierre, que é um italiano, e do Valentin Guillod, do Guarneri, e umas semanas atrás, quando o Valentin ganhou umas baterias, a gente estava conversando e aí o Pierre comentou que a gente deveria se encontrar, reunir. Então surgiu a ideia de ir assistir a final do Mundial, mas a Mariana falou, o Pierre falou, me instigaram a correr e eu fiquei empolgado. Fiz uns contatos e comecei a mexer os pauzinhos para tentar correr. Agora está confirmado – disse Balbi.

Aos 34 anos de idade, Balbi é o piloto brasileiro com a maior experiência internacional. São diversos anos competindo nos Estados Unidos e também em etapas do Mundial. Sem a “pilha” por resultados de quando era mais jovem, ele fala que o grande objetivo desta vez será se divertir.

– Consegui um apoio da Pro Tork e da Kawasaki, que me arrumou motos 2016 para eu andar nesta corrida. Então, vai ser uma boa oportunidade de testar as motos do próximo ano (que chegarão cedo ao Brasil no fim de setembro). Mas sei que venho para me divertir, sem pensar em resultado. O nível do Mundial mais os pilotos americanos é muito alto. Unimos o útil ao agradável. Vamos testar a moto nova, me adaptar a ela com antecedência para o fim da temporada brasileira e para o próximo ano – completa Balbi.

A última vez que o mineiro correu o AMA Motocross foi em 2009, na pista de Steel City, quando conquistou o oitavo lugar na segunda bateria do fim de semana. Já a última vez que correu o Mundial MX foi em 2014, na última vez que o Parque Beto Carrero, em Penha, Santa Catarina, recebeu um GP. Na ocasião, Balbi foi o melhor brasileiro da categoria com o 19º lugar do fim de semana.

– Gostaria de agradecer minha equipe, a Pro Tork, a Kawasaki, a MB3, Rfix Graphics, ao Max (Balbi), porque todos estão me ajudando muito para estar aqui – agradece Balbi.

Para acompanhar a etapa, fique ligado na programação do canal Bandsports, que transmite todas as corridas da temporada, e aqui no BRMX – você pode acompanhar em tempo real volta a volta clicando aqui.

 

balbijunior_103_mxgp
Balbi Junior já está no local do evento – Crédito: Divulgação

 

Para relembrar

Títulos da carreira de Balbi Junior

•    Campeão Brasileiro de Supercross na MX1 (2008)
•    Campeão Brasileiro de Supercross na MX1 (2004)
•    Campeão Latino-Americano na MX2 (2004)
•    Campeão Brasileiro na MX1 (2004)
•    Campeão Paulista na MX1 (2004)
•    Campeão da Copa Verão de Supercross na MX1 (2004)
•    Campeão Paulista na MX1 (2003)
•    Campeão Brasileiro na MX1 (2003)
•    Vice Campeão Brasileiro de Supercross na MX1 (2002)
•    Vice Campeão Brasileiro de Motocross na MX1 (2002)
•    Campeão do Mercosul na 125cc (2001)
•    Vice-campeão Brasileiro de Supercross na MX2 (2000)
•    Vice-campeão Brasileiro de Motocross na MX2 (2000)
•    Campeão Brasileiro na MX2 (1999)
•    Vinte e oito títulos mineiros nas categorias 85cc, MX1 e MX2 entre 1992 e 2009

 

Outros feitos históricos

•    Primeiro brasileiro a terminar duas etapas do AMA SX Lites no top ten. Mesmo sem participar de todas as etapas, Balbi terminou o campeonato em 17º (2010)
•    Décimo colocado na etapa do Campeonato Mundial de Motocross, em Canelinha (2009)
•    Capitão do time brasileiro no Motocross das Nações. Brasil terminou em 14º. Balbi foi 8º na MX3 (2008)
•    12º colocado no AMA MX (2008)
•    5º colocado na etapa de Unadilla do AMA MX (2008)
•    5º colocado na etapa de Daytona do AMA SX (2008)
•    Vencedor da heat 1 na etapa de Daytona do AMA SX (2008)
•    19º colocado no AMA MX (2007)
•    Capitão do time brasileiro no Motocross das Nações. Brasil se classifcou pela primeira vez para a Final A (2007)
•    Primeiro brasileiro a terminar uma prova entre os top dez no AMA Motocross (2007)
•    Considerado pela mídia um dos melhores novatos da temporada, depois de vários resultados entre os top 20 no AMA Motocross. (2006)
•    Vencedor de três etapas do 4-Stroke National Championship (2006)
•    Primeiro brasileiro a classificar no AMA Motocross (2005)
•    Membro da equipe Brasileira do Six Days Enduro (2003).