Após repescagem, Brasil está fora das finais do Motocross das Nações 2016

fabiosantos_cesararaujo

Fabinho Santos terminou a repescagem em 8º – Fotógrafo: Cesar Araujo

 

*Texto atualizado às 7h35

Não deu. Após a realização da repescagem (Final-B) na manhã deste domingo, 25, o Brasil está fora das finais do Motocross das Nações 2016. A equipe chegou perto com os resultados de Jean Ramos (7º lugar) e Fabio Santos (10º lugar), mas foi a Irlanda, com Martin Barr (4º lugar) e Stuart Edmonds (8º lugar) que ficou com a vaga tão desejada.

O alemão Dennis Ulrich ganhou a corrida, mas como o Nações é um jogo de equipes e é preciso somar resultados com os companheiros, a Alemanha – campeã do MXoN em 2012 – ficou fora das finais. O segundo melhor alemão foi Henry Jacobi, com a 13ª posição, somando 14 pontos para o time germânico. Max Nagl, principal piloto do país, caiu no sábado e nem largou neste domingo.

Paulo Alberto, piloto português que compete no Brasil, ficou em segundo na corrida e Hugo Basaula terminou em 11º, somando 13 pontos. Assim, os lusos ficaram com o segundo lugar, apenas um ponto atrás da Irlanda, que somou 12 (8+4). A soma brasileira deu 17 (7+10), o que garantiu o quarto lugar na repescagem, empatado com a Eslovênia, que fez 17 somando 5+12 dos pilotos Jernej Irt e Peter Irt.

Na soma geral, o Brasil ficou com a 24ª colocação do MX das Nações 2016. Mesmo fora do grupo de elite, que são os 20 finalistas, este é o melhor resultado tupiniquim desde 2010, a última vez que o país chegou à final e terminou a competição em 18º.


Das 15 participações brasileiras no Motocross das Nações, em cinco oportunidades os pilotos chegaram até as corridas finais. Os melhores desempenhos da história foram na Inglaterra (2008) e na Itália (2009), quando o time alcançou o 14º lugar em ambas as edições do evento.

O sonho de voltar à elite do motocross mundial fica adiado para 2017, quando o MXoN será realizado nos Estados Unidos, na tradicional e desafiadora pista de Glen Helen, na Califórnia.

 

Resultado da repescagem do MXoN 2016

B-Final

Pos Piloto País Moto Dif. do 1º Melhor Volta
1 27 Ullrich, Dennis GER KTM 0:00.000 1:56.166
2 48 Alberto, Paulo POR Honda 0:00.651 1:56.425
3 99 McConahy , Noah PUR Kawasaki 0:01.773 1:55.843
4 50 Barr, Martin IRL Honda 0:20.484 1:57.913
5 63 Irt, Jernej SLO Yamaha 0:26.694 1:58.696
6 83 Sihvonen, Miro FIN KTM 0:33.728 1:58.493
7 81 Ramos, Jean Carlo BRA Yamaha 0:37.347 1:59.025
8 51 Edmonds, Stuart IRL TM 0:40.396 1:58.622
9 111 Docherty, Michael RSA Kawasaki 0:45.795 1:58.578
10 79 Dos Santos, Fabio Aparecido BRA Yamaha 0:53.947 1:59.377
11 47 Basaula, Hugo POR Kawasaki 1:00.316 2:00.370
12 61 Irt, Peter SLO Yamaha 1:12.352 1:58.814
13 26 Jacobi, Henry GER KTM 1:28.007 1:59.518
14 62 Pancar, Jan SLO Yamaha 1:30.556 2:01.480
15 78 Kohut, Tomas SVK KTM 1:39.738 2:00.354
16 115 Hugyecz, Erik HUN KTM 1 lap 2:00.825
17 109 Fitzgerald, Kerim RSA KTM 1 lap 2:01.063
18 71 Staszkiewicz, Szymon POL KTM 1 lap 2:01.962
19 116 Szvoboda, Bence HUN KTM 1 lap 2:01.670
20 80 Alves, Ramyller BRA Yamaha 1 lap 2:01.793
21 117 Szoke, Mark HUN Suzuki 1 lap 2:01.959
22 76 Simko, Tomas SVK Honda 1 lap 2:00.875
23 88 Karas, Hrvoje CRO Yamaha 1 lap 2:04.176
24 72 Wysocki, Tomasz POL KTM 1 lap 2:00.961
25 97 Astudillo, Jason PUR Kawasaki 1 lap 2:06.248
26 46 Goncalves, Rui POR Husqvarna 3 laps 1:56.333
27 89 Crnkovic, Luka CRO Yamaha 4 laps 2:01.327
28 57 Macuks, Toms LAT Kawasaki 6 laps 1:59.507
29 110 Adams, Nicholas RSA Honda 9 laps 2:00.249
30 70 Lonka, Lukasz POL KTM 9 laps 2:00.908
31 55 Ivanovs, Davis LAT Yamaha 10 laps 1:58.923
32 90 Jaros, Matej CRO Kawasaki 11 laps 2:02.645
33 98 Aponte, Gino PUR Kawasaki 11 laps 2:08.050
34 82 Malin, Valtteri FIN KTM 15 laps 2:01.994
35 77 Sikyna, Richard SVK KTM 16 laps 2:02.831

 

.

:: Histórico dos times

1997 – Bélgica
Local: Nismes
Posição final: eliminado na repescagem
Equipe: Cristiano Lopes (250cc); Gilberto “Nuno” Narezzi (125cc); Rogério Nogueira (Open)

1998 – Inglaterra
Local: Foxhills
Posição final: eliminado na repescagem
Equipe: Cristiano Lopes (250cc); Paulo Stedile (125cc); Rogério Nogueira (Open)

1999 – Brasil
Local: Indaiatuba
Posição final: 15º (por ser sede da competição, o Brasil teve sua vaga garantida para a final)
Equipe: Rafael Ramos (250cc); Paulo Stedile (125cc) e Cristiano Lopes (Open)

2000 – França
Local: Saint Jean D\’Angely
Posição final: eliminado na repescagem
Equipe: Massoud Nassar (250cc); Roosevelt Assunção (125cc) e Milton “Chumbinho” Becker (Open)

2001 – Bélgica
Local: Namur
Posição final: eliminado na repescagem
Equipe: Paulo Stedile (250cc); Douglas Parise (125cc) e Massoud Nassar (Open)

2007 – Estados Unidos
Local: Budds Creek
Posição final: 16º
Equipe: Wellington Garcia (MX1); Leandro Silva (MX2) e Antônio Balbi Júnior (Open)

2008 – Inglaterra
Local: Donington Park
Posição final: 14º
Equipe: Leandro Silva (MX1); Wellington Garcia (MX2) e Antônio Balbi Júnior (Open)

2009 – Itália
Local: Franciacorta
Posição final: 14º
Equipe: Wellington Garcia (MX1); Swian Zanoni (MX2) e Antônio Balbi Júnior (Open)

2010 – Estados Unidos
Local: Lakewood
Posição final: 18º
Equipe: Anderson Cidade (MX1); Cristopher “Pipo” Castro (MX2) e Antônio Balbi Júnior (Open)

2011 – França
Local: Saint Jean D’Angely
Posição final: 27º
Equipe: Marcello “Ratinho” Lima (MX1); Dudu Lima (MX2) e Antônio Balbi Júnior (Open)

2012 – Bélgica
Local: Lommel
Posição final: 32º
Equipe: Gabriel Gentil (MX1); Rafael Faria (MX2) e Marçal Müller (Open)

2013 – Alemanha
Local: Teutschenthal
Posição final: 31º
Equipe: Rafael Faria (MX1); Hector Assunção (MX2) e Anderson Cidade (Open)

2014 – Letônia
Local: Kegums
Posição final: 27º
Equipe: Roosevelt Assunção (MXGP); Rodrigo Selhorts (MX2) e Thales Vilardi (Open)

2015 – França
Local: Ernée
Posição: 27º
Equipe: Thales Vilardi (MXGP), Fábio Santos (MX2) e Jean Ramos (Open)

2016 – Itália
Local: Maggiora
Posição: 24º
Equipe: Fábio Santos (MXGP), Ramyller Alves (MX2) e Jean Ramos (Open)