Search

Após lesão no joelho, Anderson Cidade retoma treinos com moto

anderson_mauhaas

Anderson Cidade nesta terça-feira – Foto: Mau Haas / BRMX

 

O catarinense Anderson Cidade voltou a treinar com moto nesta semana depois de ficar cerca de 20 dias afastado por causa de uma lesão no joelho direito. Piloto da Yamaha Grupo Geração na categoria MX2, Cidade se machucou durante a segunda etapa do Catarinense de Motocross, realizada no dia 6 de março, na cidade de Rio Negrinho.

Uma semana depois da queda no estadual, correu no sacrifício a etapa de abertura do Brasileiro de Motocross, no Mato Grosso do Sul. Na volta pra casa, se dedicou a longas sessões de fisioterapia e acupuntura para tirar a dor, regenerar e fortalecer o músculo rompido, sendo liberado pelos médicos nesta segunda-feira, 28.

– Tive uma ruptura no músculo do joelho e isso danificou o tendão também. Perdi força e sentia muita dor”, explica Cidade. “Quase desisti da corrida do Brasileiro, pois quando treinei no sábado pela manhã, achei que não conseguiria correr no domingo. Dei uma volta na pista e não aguentava de dor. No domingo tomei alguns remédios para aliviar a dor e fui, mas a perna estava meio bamba. Graças a Deus consegui terminar as duas corridas e ainda fazer bons resultados – afirma o piloto, que conquistou a quarta colocação ao final do dia.

A lesão ainda não está 100% sarada. Um hematoma na região impede que o médico veja no ultrassom exatamente a gravidade do problema, mas o inchaço e a dor estão quase zerados.

anderson_brmx_mauhaas

Anderson – Foto: Mau Haas / BRMX

– Teria que esperar mais um mês porque o hematoma ainda está ali, mas o joelho já desinchou 80%, estou me sentindo bem melhor, e por isso o médico me liberou. Comecei a fazer testes, pedalar, musculação. Estou com pouca dor. Posso voltar a treinar cuidando – salienta.

Essa rotina de conviver com dores faz parte da vida dos atletas de alto nível. Mesmo assim Anderson voltou nesta terça-feira, treinando na pista “mais leve” de motocross do Centro de Treinamento da equipe, localizado na Grande Florianópolis.

– É um esporte de risco, que exige muito do corpo. Cair praticando motocross faz parte, ainda mais quando se está andando no limite, buscando melhorar sempre. Tenho que agradecer meu time de especialistas que ajudam a manter minha saúde em dia, como o médico Bruno Cardoso, o fisioterapeuta Leandro França, a psicóloga Andrea Pesca e o nutricionista Luis Fernando Costa – finaliza.

O próximo desafio do piloto será a segunda etapa do Brasileiro de Motocross, marcada para os dias 31 de maio e 1º de junho, em Pedra Bonita, interior de Minas Gerais.

 

:: Veja o vídeo da volta aos treinos