Aaron Plessinger: uma temporada perfeita em 2018

Alguém apostava em Aaron Plessinger no início da temporada 2018?

 

Campeão do AMA Supercross na categoria 250SX Costa Oeste e, agora, mais recentemente, campeão do AMA Motocross na categoria 250.

Quem, no início do ano, apostaria que o jovem Aaron Plessinger faria uma temporada praticamente perfeita em 2018?

Não por acaso, a equipe oficial Monster Energy Yamaha anunciou nesta quarta-feira, 22, que em 2019 ele nem irá alinhar no gate das 250 com o number plate #1 para defender seus títulos.

Plessinger teve seu contrato renovado por várias temporadas e será parceiro de Justin Barcia (também de contrato renovado) na categoria 450, tanto no AMA Supercross como no AMA Motocross.

Portanto, o Motocross das Nações 2018, que acontece nos dias 6 e 7 de outubro na pista de RedBud, nos Estados Unidos, será sua corrida de despedida na categoria 250.

Plessinger foi convocado para defender os Estados Unidos, ao lado de Barcia e Eli Tomac.

Que tal colocar a cereja no bolo e se despedir ajudando seu país a conquistar o título em casa, após sete anos?

 

A campanha vitoriosa no AMA Supercross

Inscrito na região Oeste da categoria 250SX, ao longo do campeonato Plessinger teve como principais adversários Adam Cianciarulo, Shane McElrath e Joey Savatgy, revezando a liderança na classificação com todos eles no início da temporada.

Em 10 etapas, foram quatro vitórias e, quando não venceu, o piloto da Yamaha subiu ao pódio apenas uma vez, justamente na abertura em Anaheim, quando foi o segundo colocado.

Nas demais etapas, Plessinger alternou bons e maus resultados, finalizando apenas duas vezes dentro do top 5 (Indianápolis e Salt Lake City), mas nunca terminou fora do top 10.

Sua campanha foi em parte beneficiada pela inconsistência de seus adversários diretos na briga pelo título e pelo novo sistema de pontuação vigente, que diminuiu o “prejuízo” para quem finaliza as corridas em posições intermediárias.

Seu “pior” resultado foi a oitava posição em San Diego e no desafio Melhores do Oeste contra Melhores do Leste, na final em Las Vegas, onde garantiu o título com apenas dois pontos de vantagem sobre Cianciarulo (211 contra 209), que venceu a corrida (curiosamente a única vitória do vice-campeão da Kawasaki).

Plessinger celebrando o título da Costa Oeste em Las Vegas

 

No pódio, com o troféu de campeão e o number plate #1, Plessinger mostrou que, além de bom piloto, também é um cara romântico: ajoelhou e pediu a namorada, Kendall Taylor, em casamento (vídeo abaixo)!

A consagração no AMA Motocross

No AMA Motocross pode-se dizer que a vida de Plessinger foi um pouco mais fácil (ou seria menos complicada?).

Tudo começou com uma disputa intensa entre ele e o campeão do AMA Supercross na categoria 250SX Costa Leste, Zach Osoborne (chegaram a ficar empatados na liderança da classificação, logo no início do campeonato).

Mas esta interessante disputa durou apenas até a terceira etapa em Thunder Valley.

Osborne caiu no início da segunda bateria e sofreu uma lesão no ombro, dando adeus ao campeonato.

A partir daí, coube a Plessinger apenas administrar a vantagem sobre os demais adversários na pontuação.

O título veio com uma etapa de antecedência, no último sábado, 18, em Budds Creek, já que a impressionante vantagem de 84 pontos não pode ser superada pelo vice-líder, Alex Martin.

Não menos impressionante é a campanha de Plessinger: ele venceu cinco de 11 etapas disputadas, e nove das 22 baterias.

Consagração no AMA Motocross veio com uma etapa de antecedência, em Budds Creek

Para encerrar uma temporada perfeita

Conforme comentado no início desta reportagem, Plessinger teve seu contrato renovado com a equipe oficial Monster Energy Yamaha, para disputar a categoria 450 em 2019, tanto no AMA Supercross como no AMA Motocross.

Por isso, o Motocross das Nações em RedBud será oficialmente a sua corrida de despedida na categoria 250.

A expectativa é grande, o time americano estará correndo em casa e é um dos favoritos ao título, já que a equipe convocada, com Plessinger, Barcia e Tomac é uma das mais fortes dos últimos anos.

Será que Plessinger vai vencer a categoria 250 em RedBud e ajudar os Estados Unidos a conquistar o 23º título de sua história no Nações (o primeiro após sete anos da última conquista)?

Só saberemos nos dias 6 e 7 de outubro.

Mas se isso acontecer, será uma despedida e um encerramento de temporada com chave de ouro para quem, até o momento, foi campeão de tudo em 2018!

Plessinger (segundo à esquerda) ao lado de Roger DeCoster, Barcia e Tomac. Missão de levar os EUA ao título do Nações em casa e encerrar a temporada perfeita de 2018 com vitória na sua despedida da categoria 250