15 fatos importantes sobre a abertura do Mundial de Motocross 2018

O Mundial de Motocross 2018 começa no próximo fim de semana, 3 e 4 de março, na pista de Villa la Angostura, Argentina.

Listamos abaixo alguns itens que você precisa saber antes de começar a acompanhar as corridas.

 

1 :: Transmissão na Bandsports

A Bandsports transmitirá todas as etapas do Mundial de Motocross 2018. A abertura será veiculada em VT, às 20h de domingo, com narração de Celso Miranda e comentários de Mauro Faucon.

 

 

2 :: Horários das corridas

Villa la Angostura, cidade argentina que recebe a abertura do Mundial, tem o mesmo fuso horário de Brasília. Confira os horários das provas;

Sábado, 3
15:15 – MX2 corrida classificatória
16:00 – MXGP corrida classificatória

Domingo, 4
12:00 – MX2 bateria 1
13:00 – MXGP bateria 1
15:00 – MX2 bateria 2
16:00 – MXGP bateria 2

 

 

3 :: Cairoli em busca do recorde

Tony Cairoli vai em busca de seu décimo título mundial para tentar igualar o recorde de Stefan Everts. Atual campeão da MXGP, terá que usar sua experiência de 33 anos para bater pilotos jovens como Jeffrey Herlings, Romain Febvre, Tim Gajser e outros. Detalhe importante é que TC222 acaba de renovar seu contrato com a Red Bull KTM até final de 2020. E foi dele também os melhores resultados na pré-temporada, com mais um título do Motocross Internacional da Itália.

 

 

4 :: Honda do Brasil lá

Hector Assunção, Jetro Salazar, Lucas Dunka e Gustavo Pessoa embarcaram nesta quinta-feira, 1º de março, rumo à Argentina para disputar a primeira etapa do Mundial. Os dois primeiros correm na MXGP, e outros dois na MX2. Importante experiência para a turma do Brasil, que estreia no Brasileiro de Motocross dias 24 e 25 de março.

 

 

5 :: Honda HRC desfalcada

A HRC está desfalcada de Tim Gajser – lesão no maxilar – e Brian Bogers – lesão no pé. O único piloto da equipe na Argentina será o sul-africano Calvin Vlaanderen, que estreia pelo time com a nova Honda CRF250RW, na categoria MX2. Vale lembrar que a equipe conta com o brasileiro Marcus Freitas como chefe de equipe.

 

 

6 :: Arnaud Tonus fora

A Yamaha também tem seu desfalque. O suíço Arnaud Tonus, da Wilvo Yamaha, está fora das primeiras rodadas do Mundial por causa de lesão no ombro esquerdo. O piloto caiu em fevereiro, durante treinos da corrida de pré-temporada na França – Masters of Motocross International – e teve que passar por cirurgia para corrigir os danos. A previsão de retorno é incerta.

 

 

7 :: Estreia de Lieber e volta de Desalle

O jovem belga Julien Lieber fará sua estreia na categoria MXGP e pelo time oficial da Kawasaki na Argentina. Aos 23 anos, ele completa o time ao lado de seu compatriota Clement Desalle, que vai para seu terceiro ano com a equipe. Após fratura na vértebra, ano passado, Desalle quer recuperar os bons resultados de anos anteriores, quando foi três vezes vice-campeão mundial.

 

 

8 :: ASW no Mundial

A marca brasileira ASW estará presente em toda temporada do Mundial de Motocross 2018. Com plano de expansão de vendas para a Europa, a ASW se tornou patrocinadora da equipe Bike IT Kawasaki Dixon, que conta com o piloto britânico Tommy Searle na MXGP e o norte-americano Darian Sanayei na MX2.

 

 

9 :: Nagl estreia pela TM

Max Nagl foi o grande vencedor do GP da Argentina em 2015, primeira vez que Villa la Angostura recebeu a prova do Mundial de Motocross. Três anos depois, o alemão faz sua estreia pela equipe TM, tentando provar que a marca italiana tem moto competitiva no motocross. Detalhe que o time tem patrocínio da marca brasileira Circuit, o que faz termos duas marcas nacionais em toda temporada da MXGP.

 

 

10 :: Kawasaki na MX2

No fim de 2017, a Kawasaki anunciava o fim das atividades da equipe oficial na MX2 – principalmente por causa da saída do patrocínio da Monster Energy. Mas nem por isso a marca ficará sem uma equipe exclusiva na categoria. Em 2018, a equipe holandesa F&H Racing Team será responsável por representar a marca em todas as etapas da competição. Os três pilotos são: Jed Beaton (Austrália), Adam Sterry (Grã-Bretanha) e Ruben Fernandes (Espanha).

 

 

11 :: Hunter Lawrence #96

O australiano Hunter Lawrence é um dos candidatos na MX2. Agora na Honda Gariboldi, ele faz sua temporada de despedida do Mundial de Motocross antes de se mudar para os Estados Unidos, aonde pretende competir no AMA SX e AMA MX a partir de 2019, pela GEICO Honda.

 

 

12 :: Husqvarna na MXGP e MX2

Com Thomas Kjer-Olsen e Thomas Covington, a equipe Rockstar Energy Husqvarna encara a competição na MX2. E com Gautier Paulin e Max Anstie disputa a MXGP. Veja os vídeos da pré-temporada do time!

 

 

13 :: Lista de inscritos na MXGP

 

14 :: Lista de inscritos na MX2

 

 

15 :: Guia completo

A organização do Mundial de Motocross fornece todos os anos um guia completo sobre a competição. Para ter acesso, basta clicar na imagem acima e baixar o arquivo PDF.